Médico com máscara

Nos últimos dias, alguns centros hospitalares estabeleceram, através de circulares, a indicação de manter profissionais de saúde, que estiveram em contacto próximo não protegido com doentes infetados por SARS-CoV-2, em trabalho regular com máscara cirúrgica, desde que assintomáticos.

As recentes orientações da Direção-Geral da Saúde, na linha, aliás, do que são as orientações internacionais, esclarecem que os médicos cujo contacto não protegido seja de alto risco de exposição devem permanecer em isolamento profilático, durante 14 dias, com restrição para o trabalho.

A Federação Nacional dos Médicos (FNAM) relembra que a proteção dos profissionais de saúde é uma questão de saúde pública, dado que os médicos são veículos fáceis de transmissão do SARS-CoV-2, pondo em causa a saúde dos próprios e da população. As falhas na quebra destas linhas de transmissão têm sido apontadas como uma das razões para o descontrolo da pandemia noutros países.

Neste momento, foram já impostas aos profissionais de saúde atitudes que contrariam a melhor prática. É incompreensível que decisões com este impacto na vida dos profissionais e de risco potencial para a população sejam assumidas por quem não tem autoridade para tal.

A Comissão Executiva da FNAM

21 de março de 2020

SAMS

O Sindicato dos Médicos da Zona Sul (SMZS) está atento aos problemas e preocupações dos médicos que trabalham nos SAMS e informa que irá reunir com o MAIS Sindicato, na próxima segunda-feira, dia 23 de março.

A direção do SMZS tem acompanhado a situação muito difícil de todos os trabalhadores, nomeadamente médicos, dos SAMS, que se agravou durante a atual epidemia de SARS-CoV-2.

Não deixaremos nunca de exigir garantias de que a proteção dos médicos, no exercício da sua atividade profissional, será sempre assegurada. Seja a proteção individual, protegendo médicos e doentes do risco de contágio, seja a proteção no direito ao trabalho.

O SMZS dará conhecimento do resultado da referida reunião aos seus sócios.

Lisboa, 20 de março de 2020

A direcção do SMZS

Mulher com máscara

Caros colegas:

Estamos a viver um momento difícil e todos nós somos necessários para tratar os nossos doentes.

No entanto, o médico tem o direito de prestar cuidados de saúde em segurança, tem o direito à sua saúde e tem a obrigação de defender a saúde dos doentes pelo que, para isto, necessita de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) adequados.

Neste sentido, o Sindicato dos Médicos da Zona Sul (SMZS), em defesa dos médicos, vem questionar quais são as carências de material sentidas.

Trata-se de um questionário totalmente ANÓNIMO, comprometendo-se o SMZS ao sigilo, que demora apenas 2 minutos.

Aceda ao inquérito aqui: https://pt.surveymonkey.com/r/BYMPHGP

FAQ

A Federação Nacional dos Médicos disponibiliza um guia de perguntas frequentes, para trabalhadores médicos, sobre as medidas excecionais e temporárias relativas à situação epidemiológica do novo coronavírus - COVID-19.

A FNAM vai continuar a acompanhar a evolução da situação e prestar todo o apoio no esclarecimento de qualquer dúvida. 

Versão do documento: 3.0 - 22/03/2020

Assuntos tratados:

  • Suspensão de atividades letivas e não letivas / mobilização para o serviço ou prontidão
  • Mobilidade
  • Médicos aposentados
  • Férias
  • Procedimentos relativos a equipamentos de proteção individual (EPIs) para médicos

Anexo:

  • Anexo I – Formulário para solicitar apoio excecional junto do empregador;

  • Anexo II Minuta de declaração de recusa de exercício de funções por falta de EPIs.
© 2018 Sindicato dos Médicos da Zona Sul